domingo, 6 de dezembro de 2009

Os Sete Pecados Capitais

Tempo de Duração: 44 min
Ano de Lançamento: 2009
Qualidade: TVRip
Formato: Avi
Audio: Português
Legenda: -
Tamanho: 350 MB cada
Sinopse: Em seus ensinamentos doutrinários sobre os sete pecados capitais, São Tomaz de Aquino repensa a experiência acumulada sobre o homem ao longo de séculos. Se o filosofar do Aquinate é sempre voltado para a experiência e para o fenômeno, mais do que em qualquer outro campo é quando trata dos vícios que seu pensamento mergulha no concreto. Para conhecer o mal é necessário voltar-se para os modos concretos em que ele ocorre. Assim, frequentemente encontrarmos nas discussões de São Tomás sobre os vícios. Hoje, em lugar da vaidade, a Igreja coloca a soberba e em lugar da acídia é mais freqüente encontrarmos a preguiça na lista dos vícios capitais. Isto se deve a que a soberba é considerada por São Tomás como um pecado, por assim dizer, "mega-capital", fora da série e, portanto, prefere falar em vaidade (inanis gloria, vanglória).
Já a substituição da acídia pela preguiça parece realmente um empobrecimento, uma vez que, como veremos, a acídia medieval - e os pecados dela derivados - propiciam uma clave extraordinária precisamente para a compreensão do desespero do homem contemporâneo.
Os sete pecados capitais têm tido um grande impacto na moral do mundo moderno. Temos visto como estes pecados são encarados pelo Cristianismo, Pelo Islamismo e Judaísmo, e descobrimos que para alguns eles têm até mais impacto que os dez mandamentos. Prepare-se para descobrir o quanto você é culpável!

Episódio 01: Luxúria
O cristianismo considera que a luxúria é um pecado, mas no mundo antigo, os impérios grego e romano celebravam-na. Enquanto os devotos da antiguidade a definiam como um apetite excessivo pelo prazer carnal, a Bíblia qualifica-o com termos como fornicação, adultério ou tentação da carne. Por último, um desejo sexual tão forte, que envolve? e destrói. O Antigo Testamento condena a luxúria, mas não a sexualidade como tal. A história deste pecado mostra mudanças surpreendentes, como as orgias dos Cristãos agnósticos, as leis dos puritanos contra a fornicação e os exorcistas que lutavam contra o demónio da luxúria chamado Asmodeo. Hoje em dia, os cientistas acreditam que este pecado pode ter mais relação com a genética do que com uma escolha, mas terá que ver se são capazes de demonstrá-lo.


Episódio 02: Inveja
O filósofo da Idade Média São Tomás de Aquino dizia que os que cometiam o pecado da inveja "desfrutavam com a desgraça de outros". O escritor italiano Dante caracterizava o invejoso como "o pecador que tinha os olhos cosidos e fechados porque desfrutava contemplando o infortúnio de outros". O pecado da inveja levou ao assassinato, à revolução e inclusive à queda de impérios. Ainda no mundo de hoje em dia, saturado de imagens, este pecado passou de ser um vício para se converter numa virtude?


Episódio 03: Gula
O pecado da gula não é mencionado na Bíblia, mas já no século IV os Cristãos acreditavam que poderiam ir para o inferno por comer em excesso. Durante a Idade Obscura, os teólogos acreditavam que havia sete formas de cometer o pecado da gula, desde "comer demasiado" até "comer de forma demasiado refinada". O escritor italiano Dante dizia que os que cometiam este pecado seriam castigados e ver-se-iam obrigados a comer sapos e insectos. Acreditou-se que este pecado era a origem da obesidade e do alcoolismo, e os cruzados combateram-no de muitas maneiras, que englobam desde os jejuns religiosos até à proibição.


Episódio 04: Preguiça
O pecado da preguiça é simplesmente o pecado dos ociosos ou preguiçosos. De acordo com os teólogos medievais, este pecado pode condenar uma pessoa ao inferno. Alguns cientistas sugerem que poderia, de facto, ser o diagnóstico medieval da depressão clínica. É um pecado ou uma doença? Historicamente, houve diferentes formas de curar a preguiça, desde os antigos médicos gregos que a combatiam com ervas, ou os monges medievais que recitavam orações e jejum, até aos médicos do século XX que lutam contra a "falta de energia" com enxertos de glândulas de cabra.


Episódio 05: Avareza
O pecado da avareza está condenado na Bíblia no Décimo Mandamento: "Não cobiçarás os bens alheios". Embora a avareza tenha sido sempre mal vista, já desde a época de Moisés até aos resgates financeiros da actualidade, este pecado criou -e também condenou- grandes impérios. Os sábios, desde a época de Aristóteles até a de Jesus Cristo, arremeteram contra este vício, mas o economista do século XVIII Adam Smith susteve a teoria de que o próprio capitalismo baseia-se no pecado da avareza. Hoje em dia, muitos questionam este pecado? a avareza converteu-se em algo bom?


Episódio 06: Ira
O pecado da ira é o pecado que mata. O próprio Moisés era propenso a crises de fúria. Os míticos guerreiros de Esparta meditavam para fazer desaparecer o pecado da ira antes de uma batalha. O escritor italiano Dante situava os que cometiam este pecado no "quarto círculo do inferno", onde se desgarravam os membros uns a outros até à eternidade. Os estudiosos da demonologia afirmam que o pecado da ira é realmente a possessão do corpo por parte do demónio Amon. Hoje em dia, os neurocientistas acreditam ter encontrado a emoção da ira na "amígdala". De modo que, é o pecado da ira algo demoníaco ou químico?


Episódio 07: Soberba
O escritor italiano Dante Alighieri chamou ao pecado da soberba o "Chefe de todos os pecados", o pecado do próprio Satanás. O pecado da soberba foi condenado na Bíblia e pelo filósofo Sócrates, enquanto os romanos e os vikings fizeram dele a sua maior virtude. Acredita-se que foi a razão que conduziu Satanás ao seu fim, mas curiosamente, a história mais famosa do diabo não está na Bíblia. De modo que, qual é a origem do pecado da soberba?

Nenhum comentário: